Câncer de colo do útero e de mama são alertados no Outubro Rosa

Hey, Habib! Outubro chegou e, com ele, começamos uma grande campanha de conscientização mundial sobre a prevenção ao câncer de colo do útero e de mama.

Câncer de colo do útero e de mama são alertados no outubro rosa

Hey, Habib! Outubro chegou e, com ele, começamos uma grande campanha de conscientização mundial sobre a prevenção ao câncer de colo do útero e de mama. O Outubro Rosa tem como objetivo principal alertar as mulheres e toda a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce. Apesar da suma importância que a conscientização representa, vale lembrar que cada indivíduo precisa ter cuidado e responsabilidade quanto à disseminação de conteúdos relacionados.

O autoexame, por exemplo, não é considerado suficiente para a detecção precoce da doença. Embora tocar o próprio corpo e reconhecer sinais de possíveis mudanças seja uma ferramenta necessária para a mulher consciente da sua própria saúde, o autoexame não substitui a mamografia, por exemplo. Pensando no bem estar de toda população, convidamos a ginecologista, Dra Renata Bezerra, para nos esclarecer melhor sobre as principais questões que essa temática pode levantar.

@drarenatabezerra

A Dra Renata Bezerra é Médica ( CRM-CE 11839. REQ 7834 ) graduada pela Faculdade de Medicina Estácio de Juazeiro do Norte; Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Escola de Saúde Pública do Ceará e Pós-graduada em Nutrologia pela ABRAN.

Entenda o câncer de colo do útero

Segundo a Dra Renata, entre as doenças mais temidas da atualidade, o câncer se destaca tanto pelo número de casos, que cresce a cada ano, quanto pela quantidade assustadora de óbitos que provoca, o que colocou a doença na mira de inúmeras campanhas pela prevenção. O câncer do colo do útero é causado pela infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano – HPV.

A infecção genital por esse vírus é muito frequente e não causa sintomas na maioria das vezes. Quando há lesões precursoras ou o câncer em estágio inicial, a doença avança e podem aparecer os primeiros sintomas da doença: sangramento vaginal, corrimento e dor na relação sexual. O início cada vez mais precoce da atividade sexual e múltiplos parceiros aliados a falta do preservativo vem aumentando bastante o risco da doença“, alerta.

Sobre o câncer de mama

O câncer de mama é o tipo da doença mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, correspondendo a cerca de 25% dos casos novos a cada ano. É uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Por isso, a doença pode evoluir de diferentes formas. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem mais lentamente. Esses comportamentos distintos se devem a característica próprias de cada tumor”.

Exame preventivo e diagnóstico correto do câncer de colo do útero

A especialista em Ginecologia e Obstetrícia, Dra Renata Bezerra, explica que quando o diagnóstico é feito na fase inicial, as chances de cura são de 100%. Fazendo o exame preventivo (Papanicolaou) rotineiramente as lesões que precedem o câncer de colo do útero e podem ser descobertas e adequadamente acompanhadas.

O exame preventivo (Papanicolau) é simples e rápido, pode, no máximo, provocar um pequeno incômodo na coleta da secreção do colo do útero com a espátula e escovinha. Todas as mulheres que têm ou já tiveram atividade sexual podem e devem realizar incluindo as mulheres grávidas que também podem fazer o preventivo. Nunca é demais ressaltar que o uso da camisinha em todas as relações sexuais é um cuidado indispensável contra a infecção não só pelo HPV, mas também por outros agentes de infecções sexualmente transmissíveis“, alerta.

Prevenção e diagnóstico do câncer de mama

A Dra Renata explica que o câncer de mama não tem somente uma causa. A idade é um dos mais importantes fatores de risco para a doença (cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos). Outros fatores que aumentam o risco da doença são: fatores ambientais e comportamentais (obesidade e sobrepeso após a menopausa, sedentarismo e inatividade física), fatores da história reprodutiva e hormonal (primeira menstruação antes de 12 anos, parar de menstruar – menopausa, após os 55 anos) e fatores genéticos e hereditários (casos de câncer de mama e/ou ovário na família).

Pensando nisso, cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis como: praticar atividade física, alimentar-se de forma saudável, manter o peso corporal adequado, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, amamentar, evitar uso de hormônios sintéticos). Todas as mulheres, independentemente da idade, devem ser estimuladas a conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres.

Mas a mamografia é capaz de identificar alterações suspeitas de câncer antes do surgimento dos sintomas, ou seja, antes que seja palpada qualquer alteração nas mamas. Mulheres com risco elevado de câncer de colo do útero e de mama devem conversar com seu médico para avaliação do risco e definição da conduta a ser adotada.

Tratamento pós diagnóstico segundo a Dra Renata Bezerra – câncer de colo de útero e de mama

Imagem: Reprodução

Câncer de colo do útero

Parte das mulheres sexualmente ativas, que entra em contato com o HPV, pode debelar a infecção espontaneamente ou com tratamento médico mais adequado. Caso isso não ocorra, o tratamento visa a retirada ou destruição das lesões precursoras pré-malignas. No entanto, uma vez confirmada a presença de tumores malignos, o procedimento deve levar em conta o estágio da doença, assim como as condições físicas da paciente, sua idade e o desejo de ter, ou não, filhos no futuro”.

A cirurgia só deve ser indicada, quando o tumor (carcinoma in situ) está confinado no colo do útero. De acordo com a extensão e profundidade das lesões, ela pode ser mais conservadora ou promover a retirada total do útero a radioterapia apresenta um bom recurso terapêutico para destruir as células cancerosas e reduzir o tamanho dos tumores. Apesar de a quimioterapia não apresentar os mesmos efeitos benéficos, pode ser indicada na ocorrência de tumores mais agressivos e nos estádios avançados da doença”, ressalta.

Câncer de Mama

O tratamento do câncer de mama depende da fase em que a doença se encontra (estadiamento) e do tipo do tumor. Pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica (terapia alvo). Quando a doença é diagnosticada no início, o tratamento tem maior potencial curativo. No caso de a doença já possuir metástases (quando o câncer se espalhou para outros órgãos), o tratamento busca prolongar a sobrevida e melhorar a qualidade de vida”.

Leia também sobre o setembro amarelo, clicando AQUI.

Se você está enfrentando o câncer, nesse momento…

Força. Não duvide da sua força, não deixe que uma doença possa parecer maior do que toda a história que você já escreveu até aqui. O câncer é mais um capítulo da sua vida, mas tenha fé, não desanime, acredite na sua equipe médica que corre junto com você nessa luta! O próximo próximo passo pode ser de muita superação e gratidão”.

Dra Renata Bezarra

Comentários

2 I like it
0 I don't like it