Depressão: especialista esclarece principais dúvidas

Hey, Habib! Vamos dar continuidade à temática Depressão? Estamos aqui com a Psicóloga Fabíola Luciano, especialista em terapia cognitiva comportamental.

Depressão: especialista esclarece principais dúvidas

Hey, Habib! Vamos dar continuidade à temática Depressão? Estamos aqui com a Psicóloga Fabíola Luciano, especialista em terapia cognitiva comportamental. Contamos com uma mulher poderosa, expert no assunto e cheia de conteúdo para compartilhar sobre essa temática. Falar sobre Depressão é mais que necessário, é uma urgência.

Considerada o “mal do século” pela OMS, essa doença afeta a dados crescentes, e alarmantes, a população mundial. Essa tema de interesse público atinge, de forma direta ou indireta, a grande maioria das pessoas, visto que quem não sofre diretamente com essa doença pode, facilmente, conviver ou conhecer alguém que sofra com a mesma. Com conhecimento e informação tornamos mais possível ajudar. Segue a nossa entrevista:

Fabíola, conta pra gente um pouco sobre sua profissão, formação, onde você atende e como nosso leitor pode te contactar e acompanhar o seu trabalho nas redes sociais.

Olá Rafaella e a todos os leitores, eu sou Psicóloga Clínica, especialista em Terapia Cognitiva Comportamental pela Universidade de São Paulo e tenho consultório nos bairros do Brooklin e Vila Mariana, ambos em São Paulo. Para me encontrar nas redes sociais é só entrar no Facebook ou Instagram – @psicologa.fabiola.luciano“.

Depressão: especialista Fabiola Luciano esclarece principais dúvida
Psicóloga Fabíola Luciano – @psicologa.fabiola.luciano

Como você poderia nos explicar a depressão. O que é a depressão do ponto de vista clínico e como podemos explicá-la de forma mais humanizada.

A Depressão é uma doença, um transtorno psicológico em que predomina o sentimento de tristeza e falta de prazer diante das atividades. Isso quer dizer que uma pessoa deprimida, começa a perder o interesse e a vontade de fazer coisas que antes ela gostava, passa a se sentir mais entristecida e com pouca disposição no dia a dia”.

O que leva um indivíduo saudável a ter depressão? Se pudéssemos atribuir causas que levam uma pessoa a se tornar depressiva, quais seriam?

“Como a maioria dos transtornos psicológicos, não podemos atribuir uma causa específica para a depressão, em geral, uma somatória de fatores podem ser desencadeantes para a doença. Entre eles, cabe ênfase à: Predisposição Genética e Histórico de vida ( Abusos, Negligência, Situações Traumáticas ao longo da vida)”.

Do ponto de vista biológico, o que torna a mulher mais suscetível a ter depressão?

“Essa é uma pergunta difícil de responder, alguns estudos apontam para essa estatística em relação ao gênero, porém ainda não temos conhecimento pleno de suas razões. Alguns fatores apontados são: Genética, Alterações Hormonais, Estressores ligados à cultura e gênero ( Ex: Jornada Dupla ou Tripla)”.

Quais os principais sintomas que acometem um depressivo e quais os principais sinais que uma pessoa com depressão passa a demonstrar?

Alguns dos sintomas da Depressão são:

  • 1.       Sentimento de tristeza grande parte do tempo ainda que sem motivo aparente
  • 2.       Perda de ânimo e disposição
  • 3.       Sentimento de Culpa
  • 4.       Sentimento de Inutilidade
  • 5.       Baixa Autoestima
  • 6.       Sensação de vazio ou falta de sentido
  • 7.       Pensamentos autodepreciativos
  • 8.       Possível alteração de sono
  • 9.       Possível alteração de Peso
  • 10.   Possível alteração de Libido
  • 11.   Possível Ideação Suicida
  • 12.   Dificuldade de Concentração
  • 13.   Irritabilidade

“Dificilmente o familiar nota esse conjunto de sintomas de forma imediata, até porque a depressão é um quadro que vai progredindo gradualmente. É importante estar atento à mudanças de comportamento, falas mais “baixo astral” ou que carreguem um peso grande em relação à si mesmo, ou à vida em geral”.

@psicologa.fabiola.luciano em entrevista para o programa @hojeemdia

O que fazer quando suspeitamos estar depressivos e como se dá o diagnóstico da depressão?

“O diagnóstico sempre deve ser feito por um profissional especializado, Psicólogo ou Psiquiatra. O profissional irá realizar uma série de questionamentos, compreendendo o histórico de vida e sintomas apresentados, para então fechar um diagnóstico. Ao suspeitar que você ou alguém que ama pode estar passando pelo problema, a recomendação é buscar ajuda o mais breve possível, pois quanto antes iniciado o tratamento, melhor a resposta”.

Depressão tem cura? Quais tratamentos vem apresentando melhores resultados quanto ao controle da mesma?

“É possível sair do episódio depressivo apresentado no momento, mas é também possível que a doença volte a se manifestar em outros momentos da vida. Quando falamos em transtornos psicológicos falamos mais em controle do que em cura, isso quer dizer que você pode controlar os sintomas e viver normalmente, saindo do quadro depressivo atual. Os melhores resultados em geral, são apresentados com a Terapia Cognitiva Comportamental em associação com medicação (quando necessário)”.

Que benefícios tem um paciente com depressão que recebe acompanhamento psicológico?

“Muitos! A psicoterapia ajuda na redução dos sintomas, mas principalmente no entendimento do caminho que conduziu a pessoa até o episódio depressivo. Isso quer dizer que durante o processo, a pessoa poderá compreender gatilhos emocionais e aprender a novos direcionamentos para lidar com a doença”.

Como a terapia cognitiva comportamental contribui no tratamento de um depressivo?

“A terapia cognitiva comportamental é considerada um dos melhores e mais eficazes tratamentos para a Depressão. Isto porque esta terapia reconhece um padrão de funcionamento estruturado na pessoa depressiva e compreendendo a singularidade de cada pessoa, ela vai abordar crenças e formas de pensar que possam contribuir para manter a doença. A função da TCC é ajudar o paciente a reestruturar seus pensamentos e emoções, fazendo uma “faxina emocional” e apresentando ferramentas de autoconhecimento que levam à uma melhora no quadro”.

@psicologa.fabiola.luciano em entrevista para novo quadro do Domingo Espetacular
Fabíola, como psicóloga, qual o seu conselho, a princípio, para a família e amigos próximos que lidam com a depressão indiretamente? Considerando a suma importância de um apoio familiar apesar das dificuldades de lidar com uma doença tão devastadora, como ajudar uma pessoa próxima que enfrenta a depressão?

O conselho é que não desistam do familiar ou amigo que está adoecido. A Depressão pode ser realmente devastadora, fazendo com que seja difícil até mesmo reconhecer a pessoa antes e depois da doença. Apesar disso, a rede de apoio é extremamente importante. Para ajudar, primeiro é importante compreender que se trata de um adoecimento e não de falta de vontade. Não se trata de se esforçar ou não, e sim do comprometimento emocional que o paciente apresenta. Não julgue, apoie. Não cobre, construa possibilidades para a pessoa conseguir. Esteja junto e presente. Ofereça ajuda e entenda com a pessoa, qual a melhor forma de fazê-lo, pois para cada um o poio pode ser oferecido de uma forma diferente”.

Visto que ainda vivemos em uma sociedade que adoece frequentemente e, mesmo assim, não deixa de lado o preconceito com doenças de caráter psicológico. O que você pensa que cada indivíduo poderia fazer para que pacientes com depressão deixassem a vergonha de assumir que sofrem dessa doença e tomarem a iniciativa de procurar ajuda especializada?

“Para ajudar na busca por ajuda mediante o adoecimento precisamos quebrar os preconceitos e minimizar os julgamentos. Existe ainda um ideal coletivo sobre o que é estar deprimido e ai podem residir os primeiros motivos para as pessoas não buscarem ajuda. Ninguém gosta de se identificar com a imagem socialmente construída de uma pessoa deprimida, assim, acaba sendo mais fácil empurrar a “sujeira para debaixo do tapete”. O exercício de empatia ajuda muito nisso, antes de interpretar o que o outro sente, formar e disseminar um conceito sobre aquilo, procure entender qual a perspectiva do outro lado e os caminhos que o levaram até ali”.

Quais as opções que um depressivo, sem amparo familiar ou apoio social, pode procurar mesmo quando não dispõe de recursos financeiros para um acompanhamento especializado particular?

“Sempre existem redes de apoio gratuitas que amparam e tratam a Depressão. O SUS oferece tratamento gratuito mediante diagnóstico. É possível passar por um médico que identificando os sintomas irá encaminhar para o tratamento especializado. Além disso os Hospitais Públicos, Hospitais Escola (que tem alunos da faculdade de medicina), Clínicas Escola (qualquer faculdade de Psicologia deve ter uma clínica que atende gratuitamente), CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) ONGs e iniciativas que fazem o tratamento para depressão. Busque informação na rede pública e investigue de acordo com a região qual iniciativa existe mais perto de você”.

Sabemos que depressão é uma doença séria, que merece mais atenção, e tem tratamento; porém o principal interessado precisa reunir forças para lutar por sua saúde. O que o depressivo precisa saber, entender e fazer para começar imediatamente a luta para retomar a sua vida, rotina e ter a melhor qualidade de vida possível?

“O primeiro passo é entender que ele precisa de ajuda. A depressão não se cura sozinha. A grande problemática dos transtornos psicológicos é que não existe um exame que se possa aferir. Se você quebrar o pé, por exemplo, e fizer um raio X, com certeza vai ser visível o osso quebrado e isso engaja mais no tratamento. A Depressão é silenciosa e isso pode gerar a falsa sensação de que o paciente tem a situação sob controle. Busque Ajuda! Mantenha adesão ao tratamento seja ele medicamentoso, psicoterápico ou ambos. Coloque isso como prioridade! Se possível, estabeleça uma rotina de atividade física, mesmo que seja difícil ter ânimo para isso. Sabemos que o exercício ajuda potencialmente nos casos de depressão e ansiedade”.

Depressão: especialista esclarece principais dúvida
@psicologa.fabiola.luciano em entrevista para a @redetv
O que pode vir a acontecer quando um depressivo não busca apoio e/ou ajuda especializada para tratar essa doença?

Quando uma pessoa deprimida não busca ajuda o quadro pode piorar, e em casos mais severos corre o risco de cronificar. Quanto mais cedo o tratamento é iniciado, melhores os resultados”.

Ainda existem pessoas que insistem em afirmar que depressão é frescura e não enxergam que atitudes como essa só contribuem para a banalização de uma doença capaz de levar um indivíduo ao suicídio. Como conscientizar essas pessoas do mal que estão cometendo até quando não é intencional?

“A falta de informação associada ao preconceito ainda são as maiores causas deste mal. A conscientização hoje já é mais amplamente divulgada, tanto nas redes sociais, desde páginas especializadas, até as celebridades que passam pelo problema e se expõe. De qualquer forma conversas sobre o tema e quebra de tabus ajudam. No cotidiano discutir sobre depressão e saúde mental auxilia as pessoas a entenderem um outro prisma da situação, de forma menos pré concebida e mais real”.

Que conselho você deixa para o nosso leitor que está, neste momento, enfrentando a depressão e, muitas vezes, sem ver uma solução para essa doença, sentindo-se sem motivação, desesperançoso e sem forças para lutar?

“A Depressão pode ser controlada! Nesse momento tudo está mais intenso e cinza, e é normal que esteja assim, ainda que você não goste do que sente… Por isso mesmo, não se agrida ainda mais, não se julgue de forma tão dura! A Depressão muda muito a forma de enxergar e fazer as coisas, então não se cobre tanto neste momento, busque tratamento e acredite, as coisas vão se reorganizar. Não desista! Cuide de você com o mesmo amor e persistência que você cuidaria da pessoa mais importante da sua vida (Porque na verdade, é dela que estamos falando)”.

Depressão: especialista esclarece principais dúvida
Imagem: @psicologa.fabiola.luciano

Habib, agora que falamos abertamente sobre Depressão, ficou claro que todo indivíduo é capaz de compreender essa doença, certo? Se você sofre de depressão, saiba que não está sozinho, que existe tratamento e acredite que você vai conseguir vencer. Se você não sofre com isso, seja empático. Coloque-se no lugar do outro e busque acolher ao invés de julgar. Depressão não é brincadeira, muito menos frescura ou falta de Deus. Depressão é uma doença com evidências científicas de alterações químicas no cérebro do indivíduo deprimido. Sofrer dessa doença, portanto, não é uma escolha. Quer mais conteúdo sobre essa temática? Clique AQUI!

Comentários

1 I like it
0 I don't like it