Miss Plus Size Nacional 2018 / 19 - Talita Reis

O concurso atingiu uma marca histórica ao eleger a cearense Talita Reis como Miss Plus Size Nacional 2018. Inspire-se com a representatividade dessa mulher!

Miss Plus Size Nacional 2018 / 19 - Talita Reis

Hey, Habib! Aproxima-se o coquetel de lançamento do concurso estadual Miss Plus Size Ceará 2019. Na ocasião, serão apresentadas as 26 candidatas à imprensa. O concurso, que acontecerá no dia 20 de outubro no Teatro Riomar (papicu), atingiu uma marca histórica ao eleger a cearense Talita Reis como Miss Plus Size Nacional 2018 / 19.

A Revista Oka trouxe uma entrevista com ela, com o objetivo de inspirar as candidatas que buscam trilhar o mesmo caminho em busca desse título que evidencia a beleza plus size e motiva tantas outras mulheres a persistirem em seus sonhos e batalhas internas como a autoaceitação e liberdade de ser como são. Com vocês, nossa Miss Plus Size Nacional 2018 / 19 – Talita Reis.

Nossos leitores querem conhecer a grande mulher Talita Reis. Conta pra gente um pouco da sua história. De onde você é, onde reside atualmente, o que estudou e como se deu, desde o início, a sua relação com seu corpo.

T.R: “Primeiro eu gostaria de agradecer o espaço que a Revista OKA tem cedido para o movimento plus size. Eu sou Cearense, nascida e criada em Fortaleza, formada em jornalismo. Já nasci uma criança gordinha e com o passar dos anos, como muitas mulheres, eu vivi uma luta constante contra a balança. Fiz milhares de dietas tentando me encaixar nos “padrões de magreza”, perdia peso mas sempre sofri com o efeito sanfona”.

Até que a maturidade foi chegando e percebi que eu não precisava me obrigar a sofrer com as dietas malucas para me sentir uma mulher bonita e para ser aceita. Descobri que a principal aceitação deveria vir de mim mesma e, a partir daí, creio que as pessoas começaram a me enxergar como eu me via”.

Talita, como começou o seu envolvimento no universo plus size? Sabemos que começou como Miss Icapuí 2018 mas, o que te motivou a entrar nesse mundo como Miss?

T.R: “No ano de 2017 minha melhor amiga (Danylla Oliveira) me marcou numa publicação de jornal que falava sobre as inscrições no Miss Plus Size Ceará, naquele momento minha vida estava muito corrida e acabei não dando muita atenção ao concurso. No mês de Julho de 2018, ela viu novamente uma publicação, me marcou de novo, mas dessa vez insistiu muito para que eu pelo menos buscasse maiores informações sobre o concurso”.

Minha rotina de trabalho já estava mais tranquila, com um certo tempo livre e acabei buscando detalhes. Confesso que entrei no concurso de forma totalmente despretensiosa afinal eu era totalmente leiga no que se tratava do universo de modelo, quem dirá no de miss, mas também sempre fui muito focada em tudo o que me propus a realizar na vida e fiz um pacto comigo mesma de que daria o meu melhor e que ficaria bem independente do resultado final”.

Escolhi representar o município de Icapuí em homenagem à família do meu pai que é natural de lá. Tive 3 meses de preparação com aulas de passarela, estudando posicionamento fotográfico, palestras sobre o movimento plus size… até que chegou o dia da grande final no majestoso Theatro José de Alencar que foi o palco de um dos dias mais incríveis que já vivi”.

Com uma trajetória tão linda, sendo eleita Miss Plus Size Ceará 2018 e, mais tarde, Miss Plus Size Nacional 2018 / 19, o que você sentiu no momento da coroação?

T.R: “Foram tantas sensações em uma fração de segundos… Um misto de emoção, com dever cumprido, com não acreditar que aquilo estava acontecendo comigo, com gratidão a Deus por ter me honrado dessa forma que eu nunca planejei pra minha vida. Só queria abraçar minha família e meus amigos que estavam presentes naquele momento e que vibraram e torceram tanto por mim”.

Em algum momento você sentiu o peso da responsabilidade de representar um movimento que luta diariamente contra a gordofobia além de enaltecer a beleza da mulher plus size em um concurso estadual?

T.R: “É uma responsabilidade muito grande carregar esse título, como você falou: hoje eu represento um movimento enorme com batalhas diárias e tabus à serem quebrados, mas também é um grande prazer poder levar minha história, minha mensagem positiva à tantas pessoas que por vezes estão tristes, desmotivadas, deprimidas por sofrerem ataques sejam eles explícitos ou velados”.

Como você vê a evolução do segmento plus size no Brasil e como você acha que a sociedade poderia contribuir para a plenitude desse movimento?

T.R: “Fico muito feliz em ver a evolução do movimento plus size, infelizmente ainda à passos curtos, mas sinto que a cada dia um novo passo é dado para a quebra desse tabú, desse pré-conceito de que beleza está associada a magreza e que gordura/ sobrepeso é sinônimo de doença e desleixo. A melhor forma de contribuição que a sociedade pode ter é o emprego de um conceito tão simples e tão completo: A EMPATIA. A simples inserção desse valor á vida diária já resolveria muitas questões”.

Ouve-se falar com maior frequência sobre o empoderamento feminino, a luta pela autoaceitação e a necessidade da sororidade. Qual seu posicionamento a respeito desses temas que, muitas vezes, são debatidos de forma genérica e superficial sem pensar na mulher real que precisa de apoio quanto a esses assuntos?

T.R: “Na minha humilde opinião tudo começa com a autoaceitação. Quando você está bem consigo, não é qualquer fator externo que pode abalar sua confiança, dessa forma, instintivamente, o empoderamento feminino entra em jogo, com a luta pelo seu direito de ser quem você é independente de gênero, número de manequim, etc”.

A sororidade é uma expressão que vem sendo utilizada a pouco e que se dirige ao universo feminino mas que, na minha opinião, é a base de qualquer relacionamento seja ele de trabalho, de amizade, afetivo. É um conceito que vem sendo debatido e estudado, mas que à grosso modo se trata de empatia, de se colocar no lugar do outro. Esses temas merecem uma devida atenção, se todos tirassem um tempinho para refletir sobre esses assuntos e aplicar em suas vidas seria bem mais simples a convivência de todos os grupos”.

Sendo a nossa atual Miss Plus Size Nacional 2018/19, conta pra gente como vem sendo seu papel quanto a essa luta com o movimento Plus Size; em quais causas você está engajando atualmente e como pretende continuar a fazer a diferença até o fim do seu reinado?

T.R: “Acredito que minha missão é a de empoderar mulheres e salientar que a maior beleza que elas tem não é determinada pelo número que vestem, mostrando- as que juntas somos mais fortes e que com garra, força e perseverança podemos chegar onde quisermos. Meu maior canal de ligação com o público em geral é o instagram onde diariamente faço publicações sobre minha vida, mensagens de aceitação, reflexões e tenho uma ligação muito direta com meus seguidores. Tento, na medida do possível, responder as mensagens que me enviam em momentos de desabafo, quando acham que não há uma saída”.

“Já recebi mensagens de pessoas que tinha desistido de viver mas que, naquele momento, viram em minhas publicações sinais de que desistir da vida não era a melhor solução. Pretendo continuar usando esse canal de comunicação que tem sido tão eficiente e também tenho alguns projetos em vista que ainda não posso revelar do que se tratam, mas acompanhem meu instagram que, assim que estiver tudo preparadinho, vou comunicar lá em primeira mão”.

Pra você, o que é e qual a verdadeira importância de um concurso de Miss Plus Size? Como ele pode desenvolver um papel de qualidade na sociedade e até chegar a fazer a diferença na vida de tantas mulheres que não conseguem se sentir representadas em demais concursos de beleza?

T.R: “A principal importância é justamente relacionada à representatividade. O mais comum é que se veja concursos lindos e luxuosos com mulheres belíssimas e magérrimas, mas a moda, a beleza não se resumem a isso. Segundo uma pesquisa que li no ano passado, aqui no Brasil a obesidade atinge 1 a cada 5 adultos e mais de 50% da população tem sobrepeso, ou seja, será que essas pessoas dessa estatística, mais especificamente essas mulheres não merecem se enxergar em passarelas, em fotos de capas de revistas, em cenários de destaque nas mídias”?

“Queremos mostrar que mulher gorda pode sim estar na moda, se vestir com roupas lindíssimas. Felizmente algumas lojistas de moda slim já estão vendo a expansão do mercado consumidor plus size e estão produzindo também moda plus, além das marcas direcionadas apenas para mulheres que vestem acima do manequim 44. O concurso Miss Plus Size expande os horizontes para quem não se sente representada e dá voz e vez para uma população que já deixou de ser minoria à algum tempo”.

Que mensagem de incentivo você deixa para todas as mulheres do nosso Brasil que você está representando? Não só as do segmento plus size, mas todas aquelas que não se sentem livres para serem exatamente como são e buscam uma inspiração para dar o primeiro passo.

T.R: “Foi um grande trabalho de auto-aceitação e uma dose extra de amor próprio que me transformaram na mulher que hoje sou e é exatamente isso que desejo à todas as mulheres do Brasil. Hoje me vejo uma mulher ainda mais feliz, ainda mais confiante e com muita vontade de provar para outras mulheres que, assim como eu, elas também podem ter voz e vez e que a beleza que realmente importa vem de dentro pra fora e que, para ela, jamais existirá uma regra, um padrão. Tem uma frase que virou quase um mantra para mim e que eu gostaria de compartilhar: “Porque eu sou do tamanho daquilo que sinto, que vejo e que faço, não do tamanho que as pessoas me enxergam”.

Para finalizarmos, gostaria de agradecer por sua representatividade tão inspiradora como a nossa Miss Plus Size Ceará e Nacional e saber o que você espera da próxima Miss Plus Size Ceará que irá começar um novo reinado com suas próprias características e propósitos.

T.R: “Eu agradeço toda atenção e carinho e quero dizer que não sei se estou pronta para passar essa coroa/faixa para a próxima Miss Plus Size Ceará, fiquei apegada, sabe?! rs… Brincadeiras à parte, eu desejo que ela seja uma representante que carregue a bandeira do segmento plus size da forma mais integra, respeitosa e honrosa possível. Que ela possa espelhar e ajudar muitas mulheres que se sentem perdidas e sem direcionamento e que seja um reinado abençoado, que Deus esteja na frente de todos os seus propósitos, assim como sempre esteve à frente dos meus dessa forma, com as bênçãos do Divino, o caminho será de muita luz”.

Habib, Essa foi Talita Reis – Miss Plus Size Nacional 2018. Amamos enaltecer e valorizar exemplos de grandes mulheres que superam diariamente suas dificuldades e as transforma em força para alcançar seus sonhos. Gostaria que cada mulher que se sentisse representada, busque alguma motivação para seguir em frente com cada vez mais certeza do seu poder. Gostou? Conta pra gente o que essa entrevista transmitiu a você e continue acompanhando nosso conteúdo. Vem de direct, habib!

Comentários

1 I like it
0 I don't like it